RECLAMAÇÃO DE DIONÍSIO - 27/07/2013

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

RECLAMAÇÃO DE DIONÍSIO - 27/07/2013

Mensagem por Rain Loxar em Qua 29 Maio - 21:01

Nome:Rain Loxar
Deus que gostaria de ser reclamado:Dionisio
Historia:


Era sexta-feira a noite,e era esse o horario e dia em que eu costumava me reunir com meus amigos em um bar perto de casa.Era um bar simples mas ficavamos tomando
algumas bebidas e botando o papo em dia.Gostava de explicar as coisas com movimento como mimicas porem não ficava calado,fazer isso virou uma caracteristica minha.

Na maioria das vezes eu ficava conversando com meu melhor amigo Lorenzo que quando ele estava bebado o bastante começava a falar sobre deuses e mitologia grega,não dava muita bola para aquilo porem as vezes ele até contava historias interessantes,como a de Dionisio ou a de Demeter.

Tudo estava como devia estar,eu estava bebendo mais que todos novamente e nem percebia pois o alcool mal parecia fazer efeito em mim,o normal era eu dar carona a todos meus amigos como sempre,porem,hoje Lorenzo estava estranho como se estivesse sendo seguido.
Enquanto eu bebia e se divertia com meus amigos,ele ficou em silencio olhando a rua pela janela ate me segurar pela mão e pedir para mim leva-lo a um lugar aberto.Nao rejeitei o pedido pois eu morava somente com minha mãe, por meu pai ter morrido em um acidente de carro e nao ter mais nenhuma pessoa morando comigo o considerava como um irmão.

Fui ate uma rua deserta,com bastante espaço como ele havia pedido,Lorenzo saiu do carro e pediu para mim sair tambem,estava tudo escuro e ficamos olhando para o nada,até que uma sombra bem grande apareceu e começava a se aproximar,quando consegui enxergar o que era aquela sombra meu coração desparou.Era um monstro enorme com um olho só,pensei que era um Ciclope como Lorenzo havia me falado em suas historias,dei pequenos passos para tras com uma face de medo e Lorenzo,que estava atras de mim um pouco a esquerda me bateu com uma especie de martelo,fazendo eu desmaiar.

Quando acordei estava em um lugar que nunca tinha visto antes, e logo ao levantar me deparei com um Centauro que disse:

-Seja bem-vindo ao acampamento Meio-Sangue! Meu nome e Quiron e como pode ver,sou um Centauro instrutor de novos semideuses.- Falou com um tom de voz que emitia confiança

Fiquei impressionado sobre como aquela criatura podia existir e sera que tudo aquilo que Lorenzo teria me contado seria verdade? Estava confuso e procurando por respostas,falei:

-Ah...Poderia me explicar o que eu faço neste lugar que voce chamou de Acampamento Meio-Sangue?

-Voce e filho de um deus e um mortal,como chamamos aqui de Semi-deus, e este e o lugar que voce vai achar varias pessoas que tambem sao semi-deuses como você.

-Eu não poderia simplesmente viver uma vida normal?

-Haha! Creio que nenhum semi-deus tenha uma vida normal.Você podera perguntar o que quiser ao seu amigo Lorenzo que esta na enfermaria,ele lutou bravamente contra o ciclope que quase os matou.

Lorenzo estava bastante ferido pois havia lutado contra o Ciclope,depois de muitas perguntas ele me explicou sobre os chales e outros lugares do acampamento.Porem,Lorenzo era um semi-deus como eu,a diferença era que ele ja havia descobrido quem era seu pai,enquanto eu estou na espera.
avatar
Indeterminados

Mensagens : 1
Data de inscrição : 28/05/2013
Idade : 23

Ficha do personagem
Pontos:
100/100  (100/100)
Arsenal:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RECLAMAÇÃO DE DIONÍSIO - 27/07/2013

Mensagem por Hanna R. Bullock em Sex 31 Maio - 17:02

Nome? Hanna R. Bullock
Qual Deus lhe agradaria como pai/mãe? Dionísio
Conte um pouco de sua história. (20 linhas no minimo)

Desde criança uma vida normal eu nunca tive. Passei desde que me conheço por gente até os oito anos em um orfanato. Era "a garota problema" de lá. Sempre fui agitada, para quieta não faz meu estilo. Como sempre disse, "antes pedir perdão do que permissão". Tudo de ruim que acontecia no orfanato era culpa minha... Mesmo que não fosse.

Nunca conheci meus pais, e isso era uma coisa que sempre me atormentava. A pior coisa que existe é passar dia dos pais sem um pai, ou dia das mães sem uma mãe. Só sabe disso quem já passou por essa situação. Quando alguns anos se passaram, percebi que lamentar a falta dos meus pais não traria eles de volta. Muitas vezes enquanto durmo, tenho sonhos completamente insanos e viajados, onde coisas completamente fantasiosas existem. Em alguns desses sonhos aparece um homem, que muitas das vezes me dá conselhos... E por incrível que pareça, eles geralmente funcionam.

Meu melhor amigo foi por muito tempo um coelhinho, que um dia já foi branco. Hoje está todo encardido. Apesar disso, ele sempre esteve comigo pra onde quer que eu fosse. Quando finalmente fui adotada, mais ou menos com oito anos, larguei um pouco o coelhinho e fiquei amiga de meu irmão também adotivo. Foi aí que comecei a frequentar a escola. Ok, nunca fui muito popular e muito menos comportada, mas não posso dizer que a escola foi completamente inútil. É claro que as aulas não me serviram de nada, a não ser para alguns bons cochilos, mas as pessoas na escola são tão más que a maldade delas te faz crescer. Quer por bem, quer por mal, que você queira, quer não. Foi na escola que descobri uma das melhores coisas: a bebida... E a badalação. A vida nunca é um mar de rosas, mas nada que estar cercada de amigos e um pouco de álcool nas veias não resolva.

Meu irmão, apesar de tudo, sempre estava comigo, pro que desse e viesse. Foi numa dessas que vim parar no acampamento. Eu tinha em torno dos meus catorze anos e faríamos uma viagem em família para um acampamento. Um monte de árvores e bichos voadores e chupadores de sangue que não me deixavam em paz. Realmente, eu não estava gostando daquele lugar. Chamei meu irmão e fomos dar uma volta pelo meio da floresta. Como dois adolescentes inconsequentes. Ao menos eu era. Tirei um frasco do bolso e dei um gole, oferecendo para ele:

_ Quer? Faz bem pro coração. _ Disse e estendi a mão com o frasco. Como fazia sempre, ele recusou com um gesto. Há algum tempo ele faria aquele enorme discurso sobre "isso ainda vai te matar, acaba com os sentidos se tomado aos montes como você faz." Mas acho que ele já se conformou que nada iria mudar, com o discurso ou sem. Andamos mais um pouco, sem rumo e em silêncio. Apesar disso não era um silêncio constrangedor. Ouvimos um barulho vindo de trás de algumas árvores mais na frente. Olhei para meu irmão com um sorriso de "vamos ver o que é...". Ele só revirou os olhos e disse:

_ Vamos, Hanna, não perca seu tempo... Deve ser só um esquilo procurando nozes que caíram... _ Fui dando passos lentos até chegar onde queria. Olhei pro chão, mas não tinha nada. Dei uma volta em mim mesma procurando o autor do barulho, mas não encontrei nada. Voltei a olhar pro meu irmão, que olhava pra trás de mim com olhos arregalados, vendo o que eu provavelmente não tinha visto. _ Hanna. Continue olhando pra mim e vem pra cá devagar. _ Lembrando da cena hoje vejo o quanto fui burra de não seguir o conselho.

_ Ah, não deve ser assim tãaaao assust... _ Disse me virando e dando de cara com uma criatura horrorosa que já tinha visto uma vez em meus sonhos. Virei pro lado e sai correndo, o mais rápido que pude, de volta ao acampamento. Enquanto corria, vi meu irmão pulando em cima daquela coisa que não podia ser real. Eu devia estar sonhando de novo. Entrei em um tronco oco enquanto olhava meu irmão correndo da criatura. De vez em quando virava e desferia algum golpe. _ Psiiiiiu _ Eu disse e ele veio e entrou no tronco, que era bem grande e coube nós dois. _ O que raios é isso? _ Perguntei com os olhos arregalados.

_ Você vai descobrir. Por hora só precisa saber que temos que ir até o acampamento meio sangue. Só lá você vai estar salva. _ Ele disse rápido e aos cochichos.

_ Pra onde? _ Perguntei. Não sabia se estava ouvindo direito.

_ Isso mesmo que você ouviu. Agora vamos. _ Ele disse puxando meu braço e correndo. A criatura horrenda estava bem atrás de nós, e nada parecia pará-la. Corremos por um tempo juntos, mas ela estava cada vez mais perto. Saí correndo mais a frente enquanto ele dava golpes e golpes. Voltei para tentar ajudá-lo, mas meus sentidos não estavam os melhores, e nunca fui muito forte. Quando viu que eu parei pra ajudar ele gritou _Corre! Pra lá! _ E apontou a direção. Saí correndo, olhando pra trás de vez em quando. Finalmente parecia estar ganhando. Voltei a correr e algum tempo depois meu irmão estava bem atras de mim. _ Consegui atrasá-lo, mas se esse te achou, outros virão. Temos que entrar no acampamento. _ Assim que ele disse acampamento, virei pra voltar. _ Não esse acampamento. _ Ele disse revirando os olhos. _ Esse acampamento. _ Ele disse parando em frente a um semi arco onde estavam escritas as palavras "Acampamento semi-Deus"
avatar
Filhos de Dionísio

Mensagens : 2
Data de inscrição : 10/04/2013
Idade : 20

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RECLAMAÇÃO DE DIONÍSIO - 27/07/2013

Mensagem por Olimpiano em Sab 1 Jun - 21:51





RAIN LOXAR, não reclamado.

HANNA R. BULLOCK, reclamada.



avatar
Master

Mensagens : 189
Data de inscrição : 12/03/2013

Ficha do personagem
Pontos:
100/100  (100/100)
Arsenal:

Ver perfil do usuário http://meiosangue.rpgboard.net

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: RECLAMAÇÃO DE DIONÍSIO - 27/07/2013

Mensagem por Conteúdo patrocinado

Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum

Aliados e ParceirosCréditos e Copyright©
:: Topsites Zonkos - [Zks] :: Wild Scream RPG RPG Autumn Valley RPG Hogwarts Todos os direitos reservados a Monte Olimpus RPG® 2011-2016